Professores de Educação Física querem Cref no ES

Professores de Educação Física querem Cref no ES

O Conselho Regional de Educação Física (Cref) foi o foco da reunião virtual da Comissão de Educação desta segunda-feira (31). Os professores de educação física Eliane Cunha Gonçalves e Ramon Vinícius Coutinho falaram sobre a necessidade de criar o Cref específico no estado do Espírito Santo. Hoje, os profissionais capixabas são ligados ao conselho de classe do Rio de Janeiro (Cref 1ª Região).

Segundo Eliane, em 1998, quando foram instituídos o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Educação Física, o Espírito Santo não tinha o quantitativo mínimo de 2 mil educadores físicos necessário para a abertura de um conselho próprio, por isso os profissionais capixabas ficaram sob responsabilidade do Cref fluminense. “Vinte e dois anos se passaram e ainda estamos ligados ao Cref1 Rio de Janeiro. Hoje somos 12 mil profissionais registrados. Estamos com o movimento Cref Já, que luta pela emancipação e instalação do Conselho Regional no Estado do Espírito Santo”, explicou Eliane.

O Cref é responsável pela habilitação, regulação e fiscalização do exercício profissional de Educação Física. Eliane ressaltou que no Espírito Santo atuam apenas dois fiscais do Cref para atender os 78 municípios. “Precisamos de um conselho próprio do Espírito Santo com fiscalização mais ampla e atuante e assim oferecer mais segurança para os profissionais de educação física e para todo a sociedade capixaba”.

De acordo com o professor Ramon, um Cref presente e atuante auxilia na melhoria e qualificação dos profissionais. “O conselho tem também como função incentivar o aprimoramento técnico e atualização profissional desses, proporcionando assim uma melhor educação física; e ofertar um trabalho seguro para sociedade”.

Os deputados da Comissão de Educação demonstraram apoio ao pedido dos profissionais de Educação Física que atuam no estado. “É importante termos de fato no Espírito Santo um conselho atuante. A gente percebe que aumentou cada vez mais o número de profissionais de educação física que exercem esse trabalho, um serviço essencial à comunidade capixaba. A comissão está à disposição de todos vocês para que a gente possa avançar nesse diálogo”, concluiu o vice-presidente do colegiado, deputado Coronel Alexandre Quintino (PSL).

Matérias aprovadas

Ainda durante a reunião, os deputados aprovaram três projetos de lei (PLs). O primeiro deles, o PL 892/2019, do ex-deputado Delegado Lorenzo Pazolini (Republicanos), obriga as escolas a fornecer cadeiras adaptadas para estudantes com deficiência física ou mobilidade reduzida. Segundo a iniciativa, o número de cadeiras adaptadas deverá ser, no mínimo, igual ao de alunos com deficiência física ou mobilidade reduzida, regularmente matriculados em cada sala.

Já a outra proposta aprovada, o PL 122/2019, trata da climatização de salas de aula no Estado. De autoria do deputado Gandini (Cidadania), prevê que a temperatura ambiente no interior das salas de aula deverá ser mantida entre 20º e 23º.

Por fim, foi aprovado o PL 519/2019, que modifica dispositivos da Lei 9.999/2013, para incluir no Programa Estadual do Transporte Escolar no Estado do Espírito Santo – Pete/ES – o transporte para alunos de ensino técnico e superior. A matéria de autoria do deputado Sergio Majeski (PSB) permite o direcionamento de recursos do Estado aos municípios para que realizem o transporte escolar de alunos de áreas rurais para escola da rede pública estadual e federal ou de instituição contratada ou conveniada localizada em outro município.

A reunião da Comissão de Educação contou com a presença do deputado Bruno Lama (PSB), que preside o grupo, e dos deputados Sergio Majeski, Dary Pagung (PSB) e Coronel Alexandre Quintino.  

 

Fonte: Texto Ascom Ales

Tags:

Leia também

Acompanhe

Carregando...
Ver mais vídeos